fbpx
Em busca da EXCELÊNCIA perdida

Dica do Capelão

EM BUSCA DA EXCELÊNCIA PERDIDA – O que eu faço hoje refletirá no amanhã!

“Tudo quanto vier às suas mãos para fazer, faça-o conforme as suas forças…“ Eclesiastes 9.10

O início de cada ano letivo sempre é um tempo de refletirmos com nossos alunos sobre as férias, sobre os momentos em família, sobre os encontros e comemorações de final de ano etc.

Tempo de apresentação de novos alunos, novos colegas, companheiros na jornada do conhecimento e do saber, mas também, tempo de pensar o ano que se inicia, fazer os nossos acordos e contratos pedagógicos, explicar como será desenvolvido o ano letivo, qual a metodologia que cada professor desenvolverá em sua disciplina etc.

Todavia, em 2019 iniciamos o ano com uma tragédia terrível:

O rompimento da barragem de Brumadinho” – Estamos em São Paulo, mais de 500 km de distância, nossos alunos não conhecem as crianças e famílias de lá – com raríssima exceção; também não moramos – com raríssima exceção, em região de risco de desabamento, mas, aquela avalanche de lama com dejetos minerais também atingiu nossos alunos, se não em suas casas, mas, com certeza em seus corações!

E assim o tema de retorno às aulas foi um pouco diferente neste ano, falamos de compaixão, solidariedade, amizade, fraternidade e excelência.

O texto do sábio pensador de Eclesiastes nos fala de um desafio possível, alcançável, atingível, exigível, necessário, a saber: “fazer o nosso melhor”!

Fazer o nosso melhor HOJE para como nossos pais, nossos amigos, nossos professores, para com tudo aquilo que o Deus Eterno tem colocado em nossas mãos.

É fato que uma tragédia desta poderia ter sido evitada, minimizada, atenuada, se cada um fizesse o seu melhor, agisse na plenitude de suas competências e responsabilidades.

 

“Os dejetos de brumadinho atingiram a todos nós, alguns em suas casas e locais de trabalho, outros em suas famílias e amigos, a todos, em nossos almas e corações!”

 

É fato que pensar no outro, amar o outro com a si mesmo, traz um sentido maior, mais intenso, mais profundo às nossas atitudes e decisões.

Oramos em sala de aula, clamamos ao Deus Criador por graça e misericórdia para com tantos que perderam pessoas, alegria, histórias, sonhos e esperança.

Procuramos refletir a dor do outro como se fosse conosco mesmo.

Mas também, refletimos o nosso papel de responsabilidade como alunos, como profissionais de hoje e do futuro, como construtores do Brasil que queremos ter.

Choramos e nos entristecermos juntos, todavia, é tempo de assumirmos nosso papel de responsabilidade como médicos, enfermeiros, engenheiros, arquitetos, criadores e programadores de sistemas, entre outros, do amanhã.

O tipo de aluno que somos hoje pode influenciar o profissional do amanhã.

A maneira como olhamos, nos relacionamos e cuidamos de nossos amigos hoje pode influenciar como trataremos o outro amanhã.

O desafio é fazer HOJE o nosso melhor, amar HOJE de todo coração, fazer HOJE com todo nosso empenho e força, enfim, fazer em tudo e com tudo o que vier a nossas mãos TODA NOSSA FORÇA!

Pastor Publio Azevedo

Capelão e Professor do CBP

Deixe uma resposta

Fechar Menu